poetizando - inspire-se

O seu lugar por em 14/04/2013

Sempre se sentiu estranhamente deslocada. Como se, nesse mundo, não houvesse lugar para ela. É claro, se sentia bem em casa, com a família ou entre amigos. Porque, nesse ponto, tinha muita, muita sorte: uma família unida e amorosa e amigos do coração. É só que não era essa a questão. Ter um lugar nesse mundo vai muito além de ter amigos ou uma boa família, de ter um bom emprego ou uma casa confortável. É mais uma questão de "saber para que veio", sabe? De conhecer o seu cerne, de se sentir bem na própria pele. E ela ainda não tinha encontrado o SEU lugar.

Sempre parecia arrumada demais, certinha demais, agitada demais. Ou arrumada de menos, descolada de menos. Menos. Era como se ainda faltasse alguma coisa para que ela fosse quem realmente era, sabe? Ou para ser quem ela ainda não era.

E pensava exatamente sobre isso enquanto vestia o jeans surrado, passava as mãos pelos longos cabelos – numa vã tentativa de domá-los –, e olhava de relance para a maquiagem que não iria usar. Isso porque, se tinha uma certeza sobre si mesma era que detestava maquiagem.

Como sempre, estava atrasada. Passou a mão na bolsa, conferiu o bilhete do metrô e saiu correndo, disposta a ganhar o tempo que já parecia perdido. Porque essa era outra coisa que sabia sobre si mesma: para ela, sempre havia uma chance. Era só seguir em frente e correr atrás, porque a vida sempre dá um jeito para tudo terminar bem. E não era uma questão de otimismo, não. Era mais uma questão de fé.

E foi imersa nesses pensamentos e em toda a sua inadequação que ela o viu. Engraçado como um estranho pode, de repente, parecer tão próximo. Seus olhos se encontraram e ela desviou o olhar. Mas alguma coisa a chamou de volta. Aquela luz... A luz daquele sorriso poderia iluminar qualquer dia ruim. Poderia até mesmo mostrar a ela onde era o SEU lugar. E nos segundos que se seguiram, ela entendeu tudo. Foi para isso que ela veio. Ele era parte de quem ela era. Estava, enfim, em casa.





Comentários


Google+