poetizando - inspire-se

Do que você se lembra? por em 28/07/2013

Do que você se lembra quando olha para trás? Quais as memórias mais fortes para você? Se a maior parte do que você conseguir se lembrar estiver ligada a roupas preferidas, objetos de estimação e "coisas" em geral, talvez você esteja construindo o tipo errado de lembranças. Afinal, objetos se quebram, roupas desbotam e saem de moda, coisas se perdem com o tempo. O que fica mesmo não é o que você teve um dia, mas quem você foi.

Quer um exemplo? Meu bisavô era muito inteligente e carinhoso, amigo dos filhos, sabia demonstrar seus sentimentos melhor que a minha bisavó. Ela, no entanto, era um porto-seguro para todos, e um dia recebeu seus novos vizinhos, que tinham muitos filhos, com um caldeirão de sopa quentinha e o coração aberto, dando início a uma amizade que se estendeu por várias gerações e que agora já inclui os meus filhos e a filhinha da minha prima, bisneta dos tais vizinhos. E, ao contrário do que pode parecer, eu não conheci meus bisavós. Mas ouvi tantas histórias sobre eles que é como se os conhecesse. Não sei nada sobre o que eles tiveram, mas o que eles foram um dia ficou em mim.

Eu sempre fui muito ligada às pessoas. As coisas não costumam ter para mim um valor sentimental. Quando fecho os olhos, lembro das minhas brincadeiras com meus primos nas reuniões de domingo na casa dos meus avós; lembro do meu avô escrevendo em suas agendas e me ensinando a rezar; lembro das minhas trocas de confidências com as minhas melhores amigas; lembro do nascimentos dos meus irmãos e da morte da minha tia-avó preferida, quando eu tinha 10 anos de idade. Lembro do passarinho que ganhei do pedreiro que trabalhou na obra da casa da minha tia, quando eu tinha 5 anos, e da primeira vez em que meu coração foi seriamente partido. Lembro de comer pipoca assistindo TV com o meu pai e da minha mãe varando madrugadas para preparar as nossas festinhas de aniversário. Lembro do tanto que já sorri e de quanto eu já chorei. Lembro do choro de cada um dos meus filhos no dia em que nasceram. Lembro do dia em que conheci meu marido e reconheci nele o meu amor. Lembro do cheiro e da voz da minha avó. Lembro de mim, de tudo o que eu já fui e que me levou ao que sou agora.

E é tudo isso que quero deixar para os meus filhos: os momentos que já vivemos e que viveremos juntos, tudo o que eu sou para eles e tudo que eles são para mim. Quero que eles conheçam as histórias antigas da família, que eles sintam o amor que vai passando de uma geração para outra... e ficando. Quero que eles entendam que não há nada mais lindo nessa vida do que ter amigos, sejam eles da família ou não. Quero que as lembranças deles sejam repletas de gente de verdade (e não de amigos do facebook, sabe?), de sentimentos, de amor.

E você? Do que você se lembra?





Comentários


Google+